segunda-feira, 17 de julho de 2017

Dias...

Célia Gil
Há dias de inverno,
em que a chuva e o vento,
invadem as nossas vidas.
E com profundo lamento,
deixam as almas perdidas,
as forças entorpecidas.
Um frio por fora e por dentro,
uma incapacidade de movimento...

Há dias simplesmente cinzentos,
vazios de movimentos,
de um nada querer por fora
de um nada crer por dentro.
São dias em que me ausento
de mim, em mim, por mim.
Em que nada faz sentido,
e cada gesto que faça
é mais um gesto perdido,
que não larga nem enlaça.

Há dias de um sol intenso,
que brilham por fora
e preenchem por dentro.
São dias de movimento,
de um querer imenso,
de um crer em pensamento.
Dias de amor,
dias de paz,
dias de ficar,
em que tudo se faz,
num torpor
de acreditar!
                  Célia Gil
(imagem daqui)

Célia Gil / Professora

É professora de português e professora bibliotecária. Gosta de ler e de escrever. Este é o seu espaço de partilha de alguns textos que escreve.

7 comentários:

  1. Sim, Célia, há dias assim! Mas - garanto- passam!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Adorei!�� Tens imenso talento! Parabéns e continua! ☺
    Realmente há dias e dias!
    O melhor de tudo é que ' depois da tempestade vem a bonança'�� Bjks. Dora

    ResponderEliminar
  3. Minha Querida Célia.
    Existe muitos dias cinzento
    Existe também dias de intenso lamento
    Existe também dias que daríamos tudo
    para esquecer.
    Porém existe momentos de felicidade
    Porque ninguém é somente triste
    tem com certeza minutos de alegria
    E são esses minutos que nos prende
    a vida deixando em nós o mais doce sorriso.
    Obrigada poetisa e amiga.
    Um abraço bem apertado.
    Sua amiga.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  4. Oi Célia,
    Tinha me esquecido do quanto os seus poemas falam com a alma da gente. Este é lindo d+!
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Célia, é sempre uma alegria ser visitada e receber um comentário. Obrigada!
    Por aqui estive a ler e gostei! Não sei como ficar seguidora.
    Quem não tem dias cinzentos, enevoados, tempestuosos? Depois chegamos sempre a uma clareira que nos traz de novo a serena rotina.
    Gostei de ver a família e os peludinhos companheiros!
    Virei aqui mais vezes!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço pelas gentis palavras. Para seguir o blogue tem mesmo no fim, no canto direito. Obrigada e bj

      Eliminar

Coprights @ 2017, Histórias Soltas Presas Dentro de Mim Designed By Templatein | Histórias Soltas Presas Dentro de Mim